Monthly Archives: Junho 2017

Raphaël Baroni

Professor Associado no Departamento de Francês Língua Estrangeira na Universidade de Lausanne, lecionou na Universidade de Michigan (E.U.A.).

As suas principais áreas de trabalho dizem respeito à análise do tempo narrativo, da intriga e da sequência, em linha com os modernos estudos narrativos e transmediáticos. Neste último campo, escreveu vários artigos onde equaciona a aplicação da narratologia a áreas como a música, a imagem, as séries televisivas ou a banda desenhada. Além disso, tem desenvolvido investigação sobre didática do francês e da linguística textual.

Raphaël Baroni é autor da obra La tension narrative. Suspense, curiosité, surprise (Seuil, 2007).  Publicou depois  L’oeuvre du temps. Poétique de la discordance narrative (Seuil, 2009).  Recentemente, co-editou o volume Narrative Sequence in Contemporary Narratology (Ohio State Univ. Press, 2016).

Membro do conselho editorial de Cahiers de Narratologie e do conselho redatorial da revista A Contrario, Raphaël Baroni é  co-fundador, juntamente com Françoise Revaz, do Reseau Romand de Narratologie (Narratology Network of French-speaking Switzerland) e do GrEBD (Groupe d’étude sur la BD).

Escreveu o verbete “Tellability” para The Living Handbook of Narratology

Raphaël Baroni é conferencista convidado no colóquio “Figuras da Ficção 5” (20 e 21 de novembro de 2017).

Headers_wp_figuras-1

 

 

 

1 Comentário

Filed under Uncategorized

Ralf Schneider

Natural de Aachen, na Renânia, Ralf Schneider doutorou-se em 1999, na Universidade de Colónia.
Fez um pós-doutoramento na Universidade de Freiburg, onde lecionou durante o ano de 2004-2005. Desde então, tem sido professor de Literatura e Cultura Britânicas, na Universidade de Bielefeld, na Alemanha.
As suas áreas científicas de interesse atual são a narratologia cognitiva, os estudos narrativos, as relações entre a literatura e a guerra, bem como a representação narrativa da migração no romance britânico contemporâneo. Publicou trabalhos sobre a teoria e a análise de personagens literárias, sobre a narrativa vitoriana e sobre a cultura e a literatura britânicas.
Em 2000 publicou Grundriss zur kognitiven Theorie der Figurenrezeption am Beispiel des viktorianischen Romans, onde procurou aplicar a teoria cognitiva ao romance da era vitoriana. Editou, conjuntamente com Fotis Jannidis e Jens Eder,  Characters in Fictional Worlds: Understanding Imaginary Beings in Literature, Film, and Other Media (Walter de Gruyter, 2010), obra de referência nos estudos narratológicos modernos, pensados em função dos seus desenvolvimentos transmediáticos. Ainda no âmbito da narratologia, editou, com Markus Heitner, Blending and the Study of Narrative: Approaches and Applications (Walter de Gruyter, 2012).
No domínio da literatura britânica co-editou Anthologies of British Poetry: Critical Perspectives from Literary and Cultural Studies (2000) e Making of Modern Tourism: The Cultural History of the British Experience, 1600-2000 (2002). Recentemente, escreveu um capítulo para o livro The Making of English Popular Culture editado por John Storey (2016).
Ralf Schneider é conferencista convidado no colóquio “Figuras da Ficção 5” (20 e 21 de novembro de 2017).

1 Comentário

Filed under Uncategorized

Brian Richardson

Professor na Universidade de Maryland (E.U.A),  lecionou também nas Universidades da Flórida, de Tübingen (Alemanha) e de Aarhus (Dinamarca). Doutorou-se em 1988, na Universidade de Washington. Entre as suas principais áreas de interesse científico incluem-se o modernismo no plano internacional, a ficção pós-moderna, a teoria narrativa, o estudo do romance e a poética do drama. O seu trabalho neste último domínio tem incidido, em especial, sobre  Joseph Conrad, James Joyce, Virginia Woolf e Samuel Beckett. Tem-se debruçado especificamente sobre textos antirrealistas de teor experimental, a partir dos quais desenvolveu pesquisa sobre “narrativa não-natural” (unnatural narrative).

Brian Richardson é autor de Unlikely Stories. Causality and the Nature of Modern Narrative (1997), Narrative Dynamics. Essays on Time, Plot, Closure, and Frames (2002), Unnatural Voices: Extreme Narration in Modern and Postmodern Fiction (2006)  e Unnatural Narrative: Theory, History and Practice (2015). Em 2012 editou, com David Herman, James Phelan, Peter Rabinowitz e Robyn Warhol, o volume Narrative Theory: Core Concepts & Critical Debates.

Foi editor convidado do número especial da revista Style (34, 2000) intitulado Concepts of Narrative. Em 2011, este mesmo periódico encarregou-o do volume dedicado ao conceito de autor implicado, onde procedeu a um balanço sobre o tema: “The Implied Author: Back From the Grave or Simply Dead Again?” (pp. 1-10).

Brian Richardson é conferencista convidado no colóquio “Figuras da Ficção 5” (20 e 21 de novembro de 2017).

 

Deixe um comentário

Filed under Uncategorized